#LUTO - Qandeel Baloch, a paquistanesa famosa do Facebook, é assassinada pelo próprio irmão

Ela era ousada, quebrou tabus, não aceitou as imposições daquele povo e acabou sendo estrangulada pelo próprio irmão.



Qandeel Baloch se tornou uma das maiores celebridades nas redes sociais lá no Paquistão por ser uma mulher polêmica, pelo menos para aquele povo, pois postava em seu perfil no Facebook diversas imagens em que aparecia com um clérigo muçulmano, por isto ela foi estrangulada e morta por seu irmão neste último sábado (16).
Ela que tem outros cinco irmãos estava na cada da família, em Multan, dormindo tranquilamente, quando foi assassinada pelo próprio irmão em crime de honra e agora a polícia está atrás do suspeito, Waseem Azeem, que é proprietário de uma loja de celular, mas não apareceu mais no estabelecimento.
A polícia está aguardando o resultado do exame químico, mas adianta que tudo indica que ela tenha sido sufocada até a morte. Só que um dos integrantes da equipe que estará fazendo a autópsia do corpo, Mushtaq Ahmed, contou que há a possibilidade de que Qandeel Baloch tenha ingerido uma substância tóxica, momentos antes de ser estrangulada pelo irmão.
O nome verdadeiro de Qandeel Baloché "Fauzia Azeem" e ela ganhou fama no Facebook depois que começou a ser ousada na rede social, pelo menos para os padrões ultra conservadores daquele povo. Aos poucos ela foi criando uma imagem que ia totalmente contra os moldes daquela sociedade. Para agravar ainda mais a situação, ela fez uma promessa de que iria aparecer completamente nua, caso o time de críquete do Paquistão fosse campeão.
No Facebook ela contava com mais de 700 mil curtidas e já vinha fazendo sucesso também no Twitter, onde já tinha mais de 40 mil seguidores. Um de seus maiores sucessos foi um vídeo em que aparece dançando rap. Ela passava a imagem de mulher independente, sensual, ousada, algo totalmente inconcebível para aquele povo.
assassinato de Qandeel Baloch causou revolta e indignação porque ela vinha sendo idolatrada por milhares de jovens, graças à sua coragem de quebrar tabus e não se intimidar pela cultura conservadorista e machista.
Qandeel Baloch morreu, mas sua ousadia será lembrada por muitos e poderá até servir de inspiração para que outras mulheres também lutem por sua liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você tambem vai gostar de: