VOTO OBRIGATÓRIO - Uma afronta a democracia!

Em um país de tamanha grandeza e com seu crescimento a passos largos, que galgou espaço entre as potências mundiais, ainda encontramos vícios políticos e um comodismo que não condiz com sua posição no cenário sócio-econômico mundial.

Vemos o atraso de uma cultura que aprisionada a heranças passadas, tornando-se um molde nada saudável para o avanço em diversas áreas, fazendo o subdesenvolvimento nacional algo ainda maior, pois através da obrigatoriedade do voto a cada pleito vemos a perca do direito democrático, levando em consideração que a usurpação do direito de escolha feito por esse sistema eleitoral somado aos prejuízos para aqueles que deixaram de votar, nos leva a refletir se há realmente democracia no Brasil.

Em países que se encontra o verdadeiro estado democrático, não existe a obrigatoriedade do voto, temos como exemplo os Estado Unidos, onde os candidatos trabalham o convencimento de que sua proposta é a melhor para o país e para o povo, levando o cidadão a escolher votar, tornando assim uma disputa aberta e mais certa de que o eleito fará jus ao voto recebido, portanto ao analisarmos o poder norte-americano, sua soberania e seu posicionamento a nível mundial, cremos que realmente essa é a maneira ideal de escolha do futuro de nossa nação, onde primeiramente decidimos se queremos votar e caso percebamos que candidato A ou B tem propostas satisfatórias, passado digno, hombridade e posicionamento favoráveis as políticas públicas necessárias para o desenvolvimento não simplesmente em escala numérica, mas de modo prático e visível no dia-a-dia do brasileiro, utilizaremos do direito ao voto para depositar nele a nossa confiança.

Devemos estudar os impactos dessa mudança com ética, pensando no avanço, no progresso, deixando de lado interesses mesquinhos e crendo que será um tiro no pé o incessante crescimento sem um bom alicerce, pois não podemos mudar o Brasil sem mudarmos a nossa cosmo-visão já que nada adianta morarmos em um país desenvolvido e continuarmos com o subdesenvolvimento em nossas mentes; é hora de discutirmos onde queremos chegar e o que fazer para obtermos êxito em nossos planos e projetos de curto, médio e longo prazo.

O voto obrigatório abre portas para a corrupção, compra de votos, permite a continuidade dos currais eleitorais, onde aqueles de maior poder aquisitivo mandam e desmandam, ameaçando, intimidando, forçando o voto, no simples e mais sombrio desejo pelo poder e por cada beneficio e regalias que o mesmo posso lhe proporcionar.

Não existe desenvolvimento sem que exista uma verdadeira democracia, não existe democracia sem que haja um senso critico na população e para que isso venha a mudar só existe uma saída, educação. Vote, mas não se obrigue a votar.

Walter Júnior

Blogueiro, compositor, cidadão

Email: blog_walterjunior@hotmail.com

Blog: http://www.impactoscariri.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você tambem vai gostar de: